Notícia

Chama acesa em Turquel

Jan 30, 2022

Depois de 10 derrotas no campeonato, o Turquel venceu um Óquei de Barcelos que já vencia há sete jogos e reacende a chama da esperança na manutenção. Os barcelenses perdem o 2º lugar para o Sporting, que venceu a Oliveirense. #PrimeiraDivisão

Com apenas quatro pontos somados nos 14 primeiros jogos, o Turquel venceu no seu reduto um Óquei de Barcelos que vinha de sete vitórias consecutivas para o campeonato. Foi uma estreia de sonho de Guillem Pérez perante os adeptos da Aldeia do Hóquei e acabou por custar o 2º lugar na classificação aos barcelenses.

Vindo de 10 derrotas consecutivas, sem Xavier Lourenço ou Tiago Silva, o panorama para o Turquel estava longe de ser o ideal na recepção ao Óquei de Barcelos. Mas havia a esperança de que a "chicotada" da chegada de Guillem Pérez pudesse surtir efeito.

Na sua estreia n'Aldeia do Hóquei (estreara-se à frente dos turquelenses no Dragão Arena), o técnico catalão logrou anular os inúmeros argumentos atacantes da equipa de Rui Neto.

Sem golos na primeira parte, Federico Balmaceda ("Pichu") inaugurou o marcador aos cinco minutos da etapa complementar. Álvaro Morais igualou aos nove, num jogo tenso, com as equipas a encaixarem. A nova vantagem do Turquel, por Tiago Mateus, respondeu Luís Querido para nova igualdade, e o jogo entrava na sua recta final completamente em aberto.

Perante uma boa moldura - com muitos adeptos a viajarem também desde Barcelos - o Turquel adiantou-se novamente a sete minutos e meio do final, pelo capitão Vasco Luís. E, desta feita, a vantagem não escaparia.

A tentativa de resposta barcelense "esbarrou" no critério disciplinar nos derradeiros três minutos e meio. Com menos um em pista (azul a Miguel Rocha), Rui Neto veria Vasco Luís ampliar para 4-2, seguindo-se azuis a Alvarinho, Luís Querido e Conti Acevedo. Pichu fechou as contas em 5-2 a poucos segundos do final.

O triunfo turquelense vale três pontos importantes, mas, a quatro pontos do Marinhense, primeiro acima da linha de água, a tarefa de manuntenção continua complicada...

Sporting sobe a segundo

Perdendo em Turquel, o Óquei de Barcelos perdeu também o segundo lugar, para um Sporting que recebeu e venceu a Oliveirense por 6-4.

Mesmo órfã das suas principais referências ofensivas (Marc Torra e Lucas Martínez), a equipa de Oliveira de Azeméis vendeu cara a derrota. Ao golo inaugural de Gonzalo Romero de grande penalidade, respondeu Nuno Araújo de livre directo, numa primeira parte sem mais golos.

Na segunda metade, uma espécie de remake, mas em versão reduzida. Romero deu vantagem, Nuno Araújo anulou. Tudo em quatro minutos.

Depois seria a vez da Oliveirense tentar fugir no marcador, mas sem sucesso. À primeira vantagem, lograda por Franco Platero, respondeu Verona. E depois de Tomás Pereira fazer o 3-4, Souto repôs a igualdade em 4-4 a sete minutos do fim.

O triunfo leonino chegaria com o selo dos seus jogadores mais influentes. Gonzalo Romero não desperdiçou a 15ª falta oliveirense e assinou o seu terceiro golo no jogo, ao passo que Ângelo Girão negaria o hat-trick a Nuno Araújo na 10ª falta leonina. João Souto matou o jogo a minuto e meio do fim.

Porto segura liderança frente à 'vítima' favorita

Pese a derrota do Óquei de Barcelos, a liderança do Porto perigaria pela vitória do Sporting, mas, frente a um Marinhense que derrotara por 15-3 na primeira volta, o Porto voltou a ser eficaz e goleador.

Ao intervalo, o marcador já estava colorido por um expressivo 1-8, com Gonçalo Alves, Rafa e Carlos Ramos ("Carlitos") a bisarem e Carlo Di Benedetto e Reinaldo Garcia a inscreverem também os seus nomes na lista de marcadores, ao passo que Hernâni Diniz apontara o único tento dos anfitriões.

Na segunda parte, o Marinhense até "ganhou", com golos de Paulo Passos (grande penalidade) e Tomás Korosec (livre directo) contra um solitário tento de Di Benedetto, mas a vitória dos dragões - por claros 3-9 - já estava escrita.

Resposta cabal

Na Parede, depois de um primeiro jogo de 2022 em que tudo correu bem à equipa de Pedro Gonçalves, tudo correu mal frente ao Braga.

Três dias depois de terem sido derrotados ali bem perto, em Paço de Arcos, os bracarenses já venciam aos 10 minutos por 0-3, com Pedro Mendes a marcar dois dos seus três golos no jogo, e António Trabulo, pelo meio, a marcar o primeiro do que seria também um hat-trick.

A equipa da Linha procurou reagir, mas ao golo de André Gaspar respondeu Trabulo para um 1-4 ao intervalo. E, no arranque da etapa complementar, o Braga voltava a ser eficaz, com mais três golos em seis minutos... O marcador evoluiu até um inusitado 5-10 final.

Ainda sem data para fecho da jornada - com o embate entre Benfica e Valongo adiado para data a definir por casos positivos de coronavírus nas águias - para meio da semana, já em Fevereiro, estão agendados os jogos dos europeus Tomar (em Paço de Arcos) e Sanjoanense (em Viana).

16ª jornada

Turquel 5-2 Óquei de Barcelos • 29.Jan

Sporting 6-4 Oliveirense • 29.Jan

• Marinhense 3-9 Porto • 29.Jan

• Parede 5-10 Braga • 29.Jan

• Paço de Arcos vs. Tomar • 2.Fev • 21h • Pedro Silva e Manuel Fernandes

• Juventude de Viana vs. Sanjoanense • 2.Fev • 21h • Rui Torres e Pedro Figueiredo

• Benfica vs. Valongo • data a definir

Classificação

1º Porto (40 pontos), 2º Sporting (38), 3º Óquei de Barcelos (36), 4º Oliveirense* (32), 5º Benfica* (31), 6º Valongo* (24), 7º Tomar** (24), 8º Braga (22), 9º Paço de Arcos* (20), 10º Parede (13), 11º Marinhense* (11), 12º Juventude de Viana* (10), 13º Turquel* (7), 14º Sanjoanense* (4)

*menos um jogo, **menos dois jogos

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade