Notícia

Aitor Egurrola despede-se no fim da temporada

Feb 21, 2022

O Barcelona anunciou o 'adeus' de Aitor Egurrola. Depois de 27 anos de blaugrana, 24 deles na equipa principal, e um recorde ímpar de títulos, o 'Polvo' deixa os postes como uma lenda da modalidade. #Mercado #OkLiga

Chegou ao Barcelona em 1995, ainda juvenil. Em 1998 estreou-se pela equipa principal, numa arrojada aposta de Carles Figueroa quando outro histórico, Carles Folguera, se lesionou. Ganhou um lugar e afirmou-se como um dos melhores guarda-redes da História. Em 2015 renovou até 2017 e, depois, foi prolongando a sua ligação ao Barcelona ano a ano. Agora, Aitor Egurrola tem despedida marcada.

Poucos dias depois de completar 42 anos, o dia 30 de Junho de 2022 marcará o fim da ligação às balizas do Barcelona de "Pulpo", "Polvo", numa alcunha conquistada por parecer ter inúmeros braços para parar os remates adversários. Para já, por decisão directiva que suspendeu a "retirada" de camisolas, não terá a sua camisola homenageada no Palau Blaugrana ao lado do "21" de Beto Borregán, capitão a que sucedeu em 2012. Mas, inevitavelmente, tal terá de acontecer.

Para além dos seus atributos entre os postes, Aitor Egurrola conquistou um lugar na eternidade da modalidade pelos inúmeros títulos que conquistou. Até agora, que a época ainda não acabou, são 77. Um recorde entre todos os atletas que vestiram a camisola blaugrana, em qualquer modalidade.

Destacam-se os 21 campeonatos de Espanha em 23 temporadas completas, só lhe tendo escapado o título em 2011 (Reus) e 2013 (Liceo), e as 11 Ligas Europeias, mais do que as oito conquistadas por todos os clubes portugueses em toda a história da mais importante competição de clubes. Ainda pendente do desfecho das edições desta época da OK Liga e da Taça do Rei, fica o impressionante palmarés:

• 21x OK Liga (1998/99, 1999/00, 2000/01, 2001/02, 2002/03, 2003/04, 2004/05, 2005/06, 2006/07, 2007/08, 2008/09, 2009/10, 2011/12, 2013/14, 2014/15, 2015/16, 2016/17, 2017/18, 2018/19, 2019/20, 2020/21)

• 11x Taça do Rei (1999/00, 2001/02, 2002/03, 2004/05, 2006/07, 2010/11, 2011/12, 2015/16, 2016/17, 2017/18, 2018/19)

• 11x Supertaça de Espanha (2004/05, 2005/06, 2007/08, 2008/09, 2011/12, 2012/13, 2013/14, 2014/15, 2015/16, 2017/18, 2020/21)

• 4x Liga Catalã (2018/19, 2019/20, 2020/21, 2021/22)

• 11x Ligas Europeias (1999/00, 2000/01, 2001/02, 2003/04, 2004/05, 2006/07, 2007/08, 2009/10, 2013/14, 2014/15, 2017/18)

• 1x Taça CERS (2005/06)

• 4x Taça Intercontinental (2005/06, 2008/09, 2014/15, 2018/19)

• 11x Taça Continental (2000/01, 2001/02, 2002/03, 2004/05, 2005/06, 2006/07, 2007/08, 2008/09, 2010/11, 2015/16, 2018/19)

• 3x Taça Ibérica (1999/00, 2000/01, 2001/02)

Curiosamente, são poucos os títulos ao serviço da selecção espanhola. Ofuscado por outro mito, Guillem Trabal, Egurrola conquistou "apenas" dois Campeonatos da Europa e duas Taças das Nações. Faltou-lhe o Campeonato do Mundo. Regressaria à selecção em 2015, em La Roche-Sur-Yon, para o tentar, mas a Espanha falharia o "hexa".

A sociedade perfeita com Sergi Fernandez

Depois de Carles Folguera abandonar em 2003, Aitor Egurrola ficou dono e senhor da baliza blaugrana, com fieis escudeiros que não ousavam disputar o lugar de "Pulpo". Em 2010, chegou Sergi Fernandez e a história mudou.

Ângelo Girão referiu várias vezes sem hesitação que os dois melhores guarda-redes do Mundo estão no Barcelona, e muitos partilham da opinião do campeão do mundo português.

Ao longo dos anos, a cumplicidade entre Aitor e Sergi - e a gestão feita pelos sucessivos treinadores - tornaram-se uma marca da conquistadora equipa da "cidade condal".

Sucessão

Tal como Aitor Egurrola, Sergi Fernandez termina contrato no fim desta temporada, mas o malhorquino de 36 anos deverá continuar no Barcelona.

Para o lugar de Aitor, é demasiado cedo para "Xano" Edo (20 anos) ou para Arnau Martinez (18), que terão de ganhar minutos e experiência antes de serem opção para a equipa principal dos blaugrana. Entretanto, poderá ganhar força o nome de Carles Grau, que completa 32 anos em Março e termina contrato com o Liceo no final desta temporada.

O guarda-redes, que defendeu a baliza do Porto entre 2016 e 2019, chegou a representar o Barcelona no fim do seu percurso formativo e continuou ligado aos clube vários anos. Brilhou no Vic, no lugar que fora de Sergi Fernandez, mas não seria chamado de volta pelos blaugrana.

Em 2019, Grau regressou a Espanha e tem brilhado ao serviço do Liceo. Mas não só. Em Novembro último foi determinante na conquista do Campeonato da Europa pela Espanha, na revalidação do título depois de Sergi Fernandez, quiçá o seu próximo colega de baliza, ter tido capital importância no triunfo em 2018.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade