Notícia

Genève e Diessbach discutem título, três anos depois

May 21, 2022

Sem título atribuído em 2020 e 2021 em virtude da pandemia, haverá finalmente novo campeão suíço. Genève e Diessbach iniciam este sábado a discussão, à melhor de cinco, para ver quem sucede ao Biasca, campeão em 2019. #NLA

Na Suíça, as medidas de combate à pandemia, no que ao Hóquei em Patins diz respeito, levaram ao cancelamento dos campeonatos em 2020 (ano em que praticamente todas as provas por essa Europa fora foram canceladas), mas também em 2021. E, assim, o Biasca mantém a coroa já desde 2019, prolongando o "reinado" da sua primeira conquista na história da prova durante três anos.

Agora, haverá, enfim, sucessor.

Genève e Diessbach defrontam-se a partir deste sábado pelo título de campeão helvético, numa série à melhor de cinco que se pode prolongar até 25 de Junho! Os jogos serão disputados semanalmente a 21 e 28 de Maio e 4 de Junho. Caso haja necessidade de quarto jogo, será a 11 de Junho. E, se houver lugar a "negra", será preciso esperar duas semanas, até 25 de Junho.

As equipas agora finalistas foram as mais fortes na primeira fase, de "todos contra todos" entre nove participantes. O Genève terminou com 37 pontos e o Diessbach com 36, relegando o (ainda) campeão Biasca para o 3º lugar, com 31. Também com 31 pontos, o Dornbirn garantiu a última vaga num play-off que se disputa a quatro.

Nas meias-finais, o Diessbach venceu o Biasca por 3-2 duas vezes e está "parado" desde dia 7, tornando mais longa a espera - mas também a preparação - para a final. Já o Genève, teve de disputar a "negra" com o Dornbirn, melhor ataque da primeira fase. Mas, depois de duas decisões para lá do tempo regulamentar, a equipa austríaca que disputa o campeonato helvético caiu por taxativo 5-2.

Confronto luso

Em confronto na decisão estarão duas equipas com as balizas defendidas por portugueses, com Sebastian Silva e Carlos Silva.

Sebastian Silva, de 39 anos, emigrou em 2011 depois de seis temporadas na Juventude de Viana, no período áureo dos vianenses que culminou com dois vice-campeonatos e a chamada de Sebastian ao Campeonato da Europa de 2010. Antes representara o Valongo e na Suíça só vestiu a camisola do Genève, sagrando-se campeão em 2014.

Também actualmente com 39 anos, Carlos Silva não tem apenas a responsabilidade de defender a baliza do Diessbach, mas também de... tudo o resto. Treinador desde 2018, procurará levar o Diessbach a um terceiro título depois dos de 2012 e 2016, este último já com Carlos Silva entre os postes.

Internacional em todos os escalões por Portugal, Carlos Silva venceu um Europeu de Juvenis, um Europeu de Juniores e, depois de conquistar duas Taças Latinas, representou a selecção das quinas no Europeu de 2006 e no Mundial de 2007. Mais tarde decidiria representar a selecção moçambicana, às ordens de Pedro Nunes.

Depois de ter vestido as camisolas de Paço de Arcos, Alenquer (uma temporada, na subida a sénior) e Benfica em Portugal, Carlos Silva está no Diessbach desde 2015, mas, quando rumou à Suíça em 2014, foi para representar o Basel. E, "na bagagem", levava Rui Ribeiro.

Rui Ribeiro já deixou implícito nas redes sociais que terminará carreira e procurará fechar com chave de ouro. Dos escalões de formação do Paço de Arcos, sempre ao lado de Carlos Silva, numa ligação pessoal forte que levou cinco (com Pedro Afonso, Ricardo Barreiros e Valter Neves) de uma assentada para um novo Benfica em 2004, Rui Ribeiro conta duas Taças Latinas e a presença num Mundial no seu palmarés pela selecção portuguesa.

Rui representou, para além de Paço de Arcos e Benfica, também Oliveirense e Candelária em Portugal, antes de regressar ao histórico da Linha. Do Basel, saiu em 2015 para o Uttigen, voltando a reencontrar Carlos no Diessbach, em 2018.

Títulos

Nesta final, Genève procura o seu 13º título, sendo a segunda equipa mais titulada no campeonato helvético, longe dos 50 triunfos do histórico Montreux. Para que se tenha noção do domínio do Montreux, o emblemático clube conquistou todos os campeonatos menos o de 1941/42 (Zürcher) até que o Genève ergueu o troféu em 1962. Estavam já 36 nas vitrines do Montreux...

Campeão pela última vez em 2014, o Genève procura o sexto título neste século, o que lhe permitiu ser presença assídua na Liga Europeia, tendo mesmo logrado pontuar na fase de grupos. Melhor, só mesmo o Diessbach, que fez história esta época ao tornar-se a primeira equipa suíça a vencer numa fase de grupos da Liga Europeia, quando bateu o Coutras, em França, por 4-6. E voltaria a vencer em casa, por 3-1.

O Diessbach joga pelo seu terceiro título e, ainda que o Genève conte com a "vantagem casa" numa eventual "negra", talvez possa ser apontado algum favoritismo à equipa orientada por Carlos Silva em virtude do histórico de embates esta temporada para o campeonato.

A 2 de Outubro deu empate em Diessbach, mas os anfitriões seriam mais felizes no prolongamento (na Suíça, não há jogos a terminar empatados) com Rui Ribeiro a marcar o golo decisivo. Na segunda volta, a 20 de Março, o Diessbach venceu em Genève por 1-3.

Agora, o passado pouco conta.

Finalmente, três anos depois, joga-se pelo título na Suíça.

NLA - Final

• Genève vs. Diessbach • 21.Mai

• Diessbach vs. Genève • 28.Mai

• Genève vs. Diessbach • 4.Jun

• Diessbach vs. Genève • 11.Jun se necessário

• Genève vs. Diessbach • 25.Jun se necessário

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade