Um argentino de Buenos Aires e um basco entram num pavilhão...

As carreiras de Alejandro Dominguez e Ricardo Ares têm coincidências. De rivais na OK Liga, a cúmplices na selecção espanhola, e agora de novo rivais no campeonato português, o argentino que dirige os leões tem levado mais vezes a melhor.

Um argentino de Buenos Aires e um basco entram num pavilhão...

Há 52 anos, Alejandro Dominguez nasceu em Buenos Aires. Quatro anos e meio depois, Ricardo Ares nascia em Bilbao, a mais de 10 mil km. A pouca tradição das duas terras no Hóquei em Patins dificilmente deixariam antever os caminhos cruzados entre os dois técnicos na última década.

Este domingo, Alejandro liderou o Sporting a uma vitória no Dragão Arena por 4-6 sobre o Porto, campeão nacional, de Ricardo Ares. O triunfo dos leões sobre os dragões como visitantes numa primeira fase do campeonato nacional é mesmo inédita, mas foi a segunda vitória de Alejandro sobre Ricardo nesta temporada que marca o regresso do treinador argentino ao Hóquei em Patins português.

Neste século, o Porto só perdera três vezes com a mesma equipa - como visitado e visitante - na fase regular do campeonato. Acontecera duas vezes em 2001/02, numa atípica temporada de seis derrotas, sendo que Infante Sagres e Benfica venceram o Porto na "ida" e na "volta". Mas, mudando (e de que maneira) o rumo a meio da época, os dragões conquistariam o primeiro título de um histórico "deca" às ordens de Franklim Pais com uma extraordinária segunda fase.

E o Porto só voltaria a perder os dois jogos da primeira fase (a única na altura) para a mesma equipa em 2014/15, frente a um Benfica que se sagraria campeão.

La Roja

Quando foram chamados a treinar em Portugal, em momentos distintos, Alejandro e Ricardo eram seleccionadores espanhóis. Alejandro vinha de conquistar o Campeonato do Mundo em 2017 e o Campeonato da Europa em 2018 quando rendeu Pedro Nunes, a meio da época, no Benfica. Houve acordo das águias com a federação espanhola para que o técnico continuasse até ao Mundial de 2019 como seleccionador, numa equipa técnica em que tinha como adjunto nada menos que Ricardo Ares.

Ricardo assumira a selecção feminina em 2017, herdando-a de Alejandro como herdaria a selecção absoluta masculina. Em virtude da maldita pandemia, Ricardo não teria oportunidade de juntar títulos ao seu currículo no masculino como juntara no feminino, somando um campeonato da Europa (2018) e dois do Mundo (2017 e 2019) aos títulos europeu (2015) e mundial (2016) que Alejandro também conquistara. Em 2021, era chamado pelo Porto, sem ter realizado qualquer partida como seleccionador principal na "Roja" masculina.

Reus e Voltregà

Antes de chegarem ao campeonato português ou à liderança de selecções na estrutura federativa espanhola, Alejandro e Ricardo tinham em comum um currículo de "apenas" seis anos à frente de um clube na OK Liga. Alejandro esteve no Reus entre 2009 e 2015, Ricardo no Voltregà entre 2010 e 2016.

Nas cinco temporadas em que coincidiram como treinadores principais de clube, entre 2010 e 2015, os técnicos defrontaram-se em 10 ocasiões para a OK Liga e duas para a Taça do Rei. Com outros argumentos em termos de plantel, o argentino levou a melhor sobre o basco nos seis primeiros duelos, conquistando mesmo o título espanhol em 2010/11.

Na penúltima temporada de "encontros", em 2013/14, Ricardo conseguiu um empate em Reus e venceria em Voltregà. Ficaria o amargo de uma derrota na Taça do Rei. No ano seguinte, o derradeiro de Alejandro num clube antes de ser chamado quatro anos depois pelo Benfica, Ricardo voltou a vencer perante o seu público, mas Alejandro também venceria quando recebeu os azuis-e-brancos de Voltregà. Houve novo duelo para a Taça do Rei e, dessa vez, Ricardo levaria a melhor.

Em 2015, Alejandro - que antes já era adjunto na selecção masculina - acumulava como seleccionador feminino. E, em 2017, passava a seleccionador masculino, sucedendo-lhe Ares no feminino. Sempre por escolha de Quim Paüls.

Alejandro e Ricardo só se voltariam a defrontar em Setembro último, sete anos e meio depois. Ricardo Ares "ainda" de azul-e-branco, mas de dragão ao peito, Alejandro Dominguez com o verde-e-branco dos leões. Em Portugal, vai levando a melhor o argentino...

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
Quem quer saber do Murches?

Quem quer saber do Murches?

O Murches tornou público o seu repúdio quanto à forma como tem sido 'fácil' ser prejudicado pelas arbitragens, num breve comunicado nas redes sociais acompanhado de um vídeo com lances da partida com o Valongo.