Notícia

«Estamos à espera que as eleições passem»

Oct 29, 2016

Será até do desconhecimento da maioria dos jogadores de Hóquei em Patins, mas há a nível nacional uma associação que visa defender os seus direitos e com lugar nas Assembleias da Federação de Patinagem de Portugal. Melhor, lugares. A Associação Nacional de Atletas (para abreviar, que a designação continua para detalhar as disciplinas de Hóquei em Patins, Patinagem Artística, Patinagem de Velocidade e Hóquei em Linha), tem direito a destacar nove delegados, número relevante que representa quase 15% de votos num universo de 61 delegados.

Alexandre Saraiva, que se destacou como guarda-redes do Gulpilhares quando a equipa gaiense ainda discutia a primeira metade da tabela classificativa da I Divisão, é o presidente da ANA e faz um balanço positivo do último mandato da FPP. "Temos uma avaliação positiva, os resultados apareceram, as coisas têm sido feitas", resume, frisando que há espaço para melhoria. "Nem tudo é bom, como é óbvio. Há algumas situações que ainda não estão resolvidas que queremos resolver em prol dos atletas", assegura.

Ainda assim, o apoio à lista única encabeçada por Fernando Claro é total. "É um apoio total dos nove membros, unânime", refere, garantindo no entanto que a ANA tomará posição em alguns temas. "Há algumas situações que nós queremos mudar, como a questão das taxas de transferência e as idades relacionadas", exemplifica. "Temos em cima da mesa temas que têm de ser debatidos, porque não vão ao encontro do interesse dos atletas, nem nada que se pareça", frisa, alargando a discussão a temas que tocarão mais os clubes. Como a distribuição geográfica. "No agrupamento das associações há clubes que estão a ser prejudicados em viagem. Não é justo para atletas, e não é só nos seniores, como é óbvio. Temos miúdos que fazem quilómetros e quilómetros para jogar e nem sempre é possível eles terem o acompanhamento desejável, não é fácil para eles", lamenta.

Uma associação em (re)construção

A ANA surgiu em 1997, como Associação Nacional de Jogadores de Hóquei em Patins. Em 2008, após um período de forte contestação às políticas da FPP, em particular por Sérgio Nunes que encabeçava a Associação, a designação foi mudada e passou a abranger os atletas de todas as disciplinas sobre a alçada da FPP.

A ANA desapareceu da primeira linha de discussão e Alexandre Saraiva está agora apostado em revitalizar a associação. "Temos poucas acções realizadas porque tivemos alguns problemas na nomeação de alguns membros. Alguns tiveram de sair, outros novos entraram e, de momento, estamos à espera que as eleições passem", refere o agora dirigente que está à frente da ANA há cerca de ano e meio, tendo estabilizado a entrada de novos membros no final da pretérita temporada. "Realizámos alguns encontros, mas cada um tem a sua vida e nem sempre é compatível com estas situações", justifica.

Numa associação que tem sido praticamente inócua, é momento de olhar para o futuro. "Já temos algumas ideias para levar em frente, algumas formações nomeadamente", avança. "Queremos divulgar um pouco aquilo que somos, mas neste momento estamos à espera que realmente passem as eleições para começarmos a trabalhar nesse sentido", reforça.

De resto, Alexandre Saraiva nem tem presente o actual número de associados. "Não sou eu que tenho essa papelada, não consigo responder-lhe", graceja até. "Mas não somos muitos", lamenta, remetendo para um processo de mudança de pastas por concluir. "O Sérgio Nunes [ndr: anterior presidente da Associação] é que estava com isso. Preparou-nos as papeladas todas, mas nós também estamos um bocadinho à nora", confessa. "Estamos parados. Tivemos troca de membros, alguns tiveram de sair e estamos a trabalhar no sentido de preparar as coisas para, quando passarem as eleições, começarmos a trabalhar e divulgar quem somos", reitera. "Porque também não faz sentido estarmos com uma associação que não anda para a frente", conclui.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade