Notícia

Uma «opção técnica» irregular

Mar 20, 2018

O jogo entre Sporting e Porto a contar para os oitavos-de-final da Taça de Portugal só seria decidido nas grandes penalidades. A perder por 4-5, Paulo Freitas lançou Vítor Hugo em pista para o lugar de Girão a 34 segundos do fim do prolongamento e, no "cinco contra quatro", os leões chegariam mesmo ao golo do empate, precisamente por Vítor Hugo, com apenas quatro segundos para jogar.

Um final espectacular. Emotivo. Épico. Irregular.

Golo do 5-5 foi ponto alto na emoção do jogo, mas ferido de legalidade

As "Regras do Jogo", em vigor desde 1 de Agosto de 2017 - mas ainda sem tradução oficial para português - são claras no Artigo 17 (Substituições), ponto 5.2 que refere especificamente esta "opção técnica", permitida, mas apenas nos últimos cinco minutos da segunda parte do tempo ("only in the last 5 (five) minutes of the second period of regular playing time").

Ainda que possa questionar-se a racionalidade de uma regra que varia em função do tempo de jogo, a irregularidade verificou-se e passou em claro aos árbitros José Pinto e Paulo Santos e ao árbitro auxiliar/mesa - a quem regulamentarmente é apontada em primeira instância a "fiscalização" na entrada dos jogadores - Jorge Carmona.

Erro no "timing" da substituição é punido com vermelho ao jogador que entrou e ao seu treinador.

A equipa de arbitragem deveria ter agido em conformidade com os pontos 6.3.1, 6.3.2 e 6.3.3 do Artigo 4, dando ordem de expulsão a Vítor Hugo e Paulo Freitas, e retomando o jogo com livre directo a favor do Porto e os leões em inferioridade numérica.

Apesar do "lapso" ter obrigado a recorrer às grandes penalidades, o impacto no desfecho da eliminatória acabou por ser desprezável, dado que o Porto, em vantagem nos instantes finais, acabaria por garantir o apuramento. Mas, associado aos cartões vermelhos, viria um consequente castigo disciplinar.

Falha passou em claro à equipa de arbitragem... e a todos em pista

Numa situação similar de entrada irregular em pista, ainda que relacionada com o não respeitar do tempo de exclusão, João Pinto e Guillem Perez receberam ordem de expulsão na Luz na temporada passada. O Conselho de Disciplina castigou o internacional angolano com um jogo de suspensão e o técnico catalão com dois.

Por curiosidade, há pouco mais de um ano, o jogo de castigo do capitão e o primeiro dos dois do treinador seriam cumpridos frente ao Valença... que é o próximo adversário dos leões nas competições nacionais.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade