Notícia

Vitória azul-e-branca na despedida de 2020

Dec 31, 2020

O Porto fechou o ano de 2020 da I Divisão com uma vitória por 5-3 sobre a Sanjoanense. 2021 abrirá com o Clássico entre dragões e Benfica. #PrimeiraDivisão

A Sanjoanense chegou ao Dragão Arena sem vencer desde 7 de Novembro, mas com dois empates a obrigar o Porto a cautelas. Benfica e Sporting não tinham ido além de empates em São João da Madeira e a equipa de Vítor Pereira voltou a mostrar apetência para complicar a vida aos “grandes”.

O derradeiro jogo da I Divisão de 2020 marcou o regresso do Porto aos jogos do Campeonato (regressara a 19 para a Taça de Portugal) depois de uma paragem de quase um mês. Vencera em Almeirim a 1 de Dezembro e depois parou devido a casos positivos de SARS-CoV-2, numa paragem que implicou a não participação na Taça 1947 para a qual garantira desportivamente o apuramento.

A Sanjoanense adiantou-se aos quatro minutos, pelo inglês Alex Mount, e, apesar da reviravolta operada por Gonçalo Alves e Carlo Di Benedetto, chegaria ao intervalo em igualdade, com Tiago Almeida a marcar a quatro minutos do descanso.

No regresso dos balneários, o Porto procurou a vantagem e Gonçalo Alves fez o 3-2 aos seis minutos. Aos 10, Giulio Cocco fazia o 4-2 e, não obstante a quase imediata resposta de Mount, o Porto conseguiria gerir a sua vantagem.

Em busca da igualdade, a Sanjoanense fica a dever a si própria dois livres directos, nas 10ª e 15ª faltas dos dragões, que poderiam ter mudado a história do jogo. Terá faltado a arte de Hugo Santos que, cedido pelos dragões, não jogou. Pelo meio, a cinco minutos do fim, Di Benedetto bisou para o 5-3 que daria outra tranquilidade e acabaria por ser final.

Benfica passou em Turquel pela margem mínima

Antes do Porto encerrar o ano, o Benfica vencera em Turquel na “véspera” (de facto, a 23) de Natal. Um Benfica diferente do que conquistou a Taça 1947.

Desde logo, Nicolía – eficiente no Luso - desperdiçou uma grande penalidade. Mas o argentino empataria antes do intervalo, depois de Vasco Luís ter dado vantagem aos da casa.

Já sem Tomás Moreira, que irá representar o Paço de Arcos, o Turquel viu a sua resistência ser quebrada apenas a oito minutos do fim, por Edu Lamas, mas dispôs de uma soberana oportunidade para restabelecer a igualdade a um escasso minuto do fim. Em livre directo, Pedro Henriques “ganhou” a Vasco Luís e praticamente decidiu o encontro.

O capitão turquelense ainda veria um azul, mas Lucas Ordoñez também não conseguiu transformar em golo. Foi o primeiro jogo em branco para o Campeonato do atacante argentino esta temporada.

Clássico para abrir 2021

O Campeonato Nacional da I Divisão regressa a 9 de Janeiro com a primeira jornada da primeira volta. E logo com um Clássico.

O Porto, terceiro classificado, recebe no Dragão Arena o Benfica, quinto, a três pontos e com menos um jogo, num duelo particularmente aguardado depois de gorado o reencontro na Taça 1947.

Na ronda inaugural da prova maior do calendário nacional, o Benfica venceu os dragões por claros 7-3, tendo mesmo estado a vencer por 7-1 possivelmente vingando na altura a observação possível do adversário na pré-temporada. Agora, com os processos contrários já devidamente assimilados e conhecidos por ambos os técnicos, levará a melhor Cabestany ou Dominguez?

I Divisão

Jornada 11

• Turquel 1-2 Benfica

• Porto 5-3 Sanjoanense

Classificação

1º Sporting* (30 pontos), 2º Óquei de Barcelos* (29), 3º Porto* (26), 3º Oliveirense* (24), 4º Benfica** (23), 6º Valongo* (20), 7º Tomar (18), 8º Juventude de Viana* (15), 9º Famalicense* (15), 10º Sanjoanense* (10), 11º Braga* (9), 12º Riba d’Ave (9), 13º Turquel (8), 14º Os Tigres* (7)

* menos um jogo, ** menos dois jogos

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade