Notícia

Alejandro Dominguez na porta de saída

Jun 21, 2021

Alejandro Dominguez não deverá continuar como treinador do Benfica na próxima temporada. A conquista da Taça 1947 não terá sido suficiente para convencer a direcção das águias a renovarem a confiança no técnico argentino. #Mercado #PrimeiraDivisão

O fim da presente temporada deverá marcar o fim da ligação de Alejandro Dominguez ao Benfica, não cumprindo o ano de contrato que ainda tem com as águias.

O técnico argentino de Buenos Aires, há muitos anos radicado em Espanha, chegou a meio da temporada 2018/19 para substituir Pedro Nunes. Afastado do trabalho diário de clube desde 2015, mas com um invejável pecúlio enquanto seleccionador espanhol com os títulos de campeão da Europa e campeão do Mundo no masculino a seguirem-se aos títulos continental e mundial no feminino, o modelo de jogo de Dominguez impressionava pela forma como a Espanha "cilindrava" os adversários.

Encontrou um Benfica em segundo - e que baixaria a terceiro com o acerto de calendário - e não conseguiu inverter o momento nessa primeira temporada, terminando em quarto. No fim dessa primeira temporada chegaram Edu Lamas e Gonçalo Pinto (saiu Miguel Rocha) e o Benfica de Alejandro Dominguez liderava o campeonato nacional de 2019/20 quando foi "travado" pela pandemia.

No último defeso, saíram Albert Casanovas e, de forma algo surpreendente, Jordi Adroher, para as entradas de Sergi Aragonés e Danilo Rampulla. No entanto, a nova época, que poderia ser de afirmação, foi pautada pela irregularidade exibicional no Campeonato Nacional.

Fica para a história das águias a conquista da primeira edição da Taça 1947, em Dezembro, e uma primeira fase de Liga Europeia sensacional, com vitórias estridentes sobre Liceo (6-2) e Barcelona (7-2). Mas sem troféu, com o Benfica a cair nas grandes penalidades nas "meias" da mais importante prova europeia. No campeonato, depois de garantir o quarto lugar na derradeira jornada da fase regular, o Benfica cairia também nas "meias" do play-off, "deixando" escapar uma vantagem de duas vitórias conseguidas em pleno Dragão Arena.

No saldo final de dois anos e meio de ligação - com uma pandemia pelo meio -, ficará a conquista da novel Taça 1947, dois quartos lugares no Campeonato Nacional da I Divisão (as piores classificações desde a primeira temporada de Luís Sénica, em 2009/10, com um quinto lugar), uma presença nas meias-finais da única Taça de Portugal que chegou ao fim nestas três temporadas e duas presenças nas meias-finais das duas Ligas Europeias disputadas.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade