Notícia

«França e Espanha não aplicaram os valores de ética e fair play»

Nov 20, 2021

Em linha com o que começa a ser prática comum entre os clubes nacionais, a Federação de Patinagem de Portugal emitiu um comunicado. A FPP visa o jogo entre França e Espanha, repudiando 'todos os comportamentos anti-desportivos'. #Comunicado #Euro

A Federação de Patinagem de Portugal reagiu em comunicado - transcrito na íntegra abaixo - ao alegado "arranjo" entre França e Espanha para que a final fosse disputada entre estas duas selecções. Com os resultados dos primeiros quatro dias, uma vitória espanhola por um ou dois golos ditava uma final entre estes e os gauleses e a Espanha venceria por 1-3, com vários jogadores e agentes nacionais a reagirem nas redes sociais.

No dia em que disputa o terceiro e quarto lugar com Itália, a federação portuguesa, em linha com muitos clubes nacionais desde o início da temporada, emitiu um comunicado a repudiar o anti-jogo dos seus adversários directos na corrida aos dois lugares da final.

Comunicado da Federação de Patinagem de Portugal

Depois de um jogo épico e apaixonante, que cativou as emoções de adeptos e não adeptos de hóquei em patins, o que comprova a transcendência e o quanto o desporto é sublime, assistimos a factos que contrariam os próprios valores do desporto e da competição.

Negar competir é a antítese daquilo que deve ser a excelência das equipas, dos seus jogadores e dos seus treinadores. Ontem, as seleções nacionais de França e Espanha não aplicaram os valores de ética e fair play.

Durante os cinquenta minutos, os árbitros do encontro interromperam, por duas vezes, o jogo para advertir os capitães de ambas as seleções por anti-jogo. O primeiro aviso foi realizado a 8m do final do jogo, tendo ambos os capitães sido sancionados com cartão azul a 2m do final do encontro.

Por coincidência, o capitão da seleção francesa, que acumulava dois cartões azuis antes deste jogo, ficou ontem estrategicamente no banco e sem braçadeira, protegendo-o de eventuais suspensões, em caso de novo cartão azul.

Foram ainda visíveis as opções estratégicas das equipas. Num jogo que decidia a qualificação para a final, ambas as seleções optaram por deixar de fora (na convocatória ou no tempo de jogo) alguns dos seus habituais titulares, tendo inclusive uma seleção falhado deliberadamente um livre direto, ação que foi sancionada pelo árbitro com cartão azul.

A Federação de Patinagem de Portugal esforçou-se para assegurar que o hóquei em patins europeu, ao nível das seleções, se mantivesse ativo. Agimos na defesa da modalidade, assumindo a responsabilidade de realizar os cinco torneios europeus agendados para este ano, face à indisponibilidade das outras federações em manterem os seus compromissos.

Assumimos as nossas responsabilidades desportivas, neste Campeonato da Europa, com a mesma convicção com que repudiamos todos os comportamentos anti-desportivos que, além de impactarem negativamente no nosso desporto e na credibilidade das nossas competições, ferem a verdade e ética do desporto.

Hoje, temos uma medalha de bronze para ganhar.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade