Notícia

Toni e Font, 'los conquistadores'

Nov 28, 2021

Os leões Toni Pérez e Ferran Font juntaram a conquista pela selecção às conquistas pelo Sporting para se afirmarem como os grandes triunfadores de 2021. E ainda há uma Intercontinental em jogo. #LigaEuropeia #PrimeiraDivisão #TaçaContinental #Euro

O asturiano Toni Pérez e o catalão Ferran Font representam duas culturas de características próprias e bem vincadas na muito clivada diversidade de um reino de Espanha que outrora dominou o Mundo. E, agora, o Europeu de Hóquei em Patins.

No Século XVI, a Espanha partia à conquista das Américas e Hernán Cortés, que iniciou a conquista do México e uma "Nova Espanha", foi uma das figuras que impulsionou esse período de ouro. Descrito pela sempre questionável wikipedia como alguém que combinava critério e audácia, que possuía grande resistência à adversidade, e era bravo, astuto e inteligente, Cortés podia rever-se, mais de cinco séculos depois em Pérez e Font, figuras de uma outra "Nova Espanha", que se impõe no Hóquei em Patins.

Ferran Font chegou do Vic ao Sporting em 2016, com apenas 19 anos, quando a saída dos jovens talentos espanhóis para outros campeonatos não era habitual. Foi aposta do director José Trindade e do treinador Guillem Pérez. Um ano depois, já sem Trindade ou Guillem Pérez, chegava Toni Pérez, do Liceo, para dar a Paulo Freitas a definição na área que tanto escasseia no Hóquei em Patins actual.

Com a conquista da Taça Continental a somar ao Campeonato Nacional, Liga Europeia e, agora, Europeu de selecções, Toni Pérez é o mais triunfador de 2021.

O Sporting sagrar-se-ia campeão nacional em 2018 e venceria a Liga Europeia em 2019, juntando-lhe ainda uma inédita Taça Continental antes da pandemia "cancelar" as grandes provas de 2020.

Ainda em 2018, Toni Pérez e Ferran Font juntaram ao título português de clubes, o título europeu de selecções, vencendo (e convencendo) na Corunha, e garantindo favoritismo para o Mundial que a Espanha disputaria em casa em 2019. Mas cairiam frente a Portugal nas "meias"...

Virada a página sobre o ano negro de 2020 (para o desporto e o Mundo em geral), o Sporting não perdeu o elã vencedor em 2021. Pelo contrário.

Os leões voltaram a conquistar a Liga Europeia, revalidando o título de 2019, e fariam o mesmo na Taça Continental. E, numa decisão em play-off, reconquistaram o Campeonato Nacional três anos depois.

Font falhou a chamada (por castigo) para a Continental em Lleida, ficando assim um título aquém de Pérez, mas nem por isso com menos mérito. E, agora, o catalão e o asturiano continuaram lado a lado para a conquista do Europeu pela Espanha.

O Europeu

Em Paredes, Ferran Font completou 25 anos a três dias do inicio do Europeu e entrou em prova de mira afinada, marcando frente a Andorra (dois golos), Itália e Alemanha. O já "trintão" Toni Pérez (31 anos) marcaria um tento aos andorrenhos e dois no triunfo sobre a Alemanha, guardando mais golos - e o mais importante - lá mais para a frente.

Ao quarto jogo, na enxurrada de 19 golos que foi o duelo ibérico, Toni e Ferran ficaram inusitadamente em branco, não conseguindo desfeitear um seu colega e capitão Ângelo Girão que os deverá conhecer bem.

A precisar de uma vitória sobre a França no derradeiro dia da fase de grupos, a Espanha cumpriu. Mas o triunfo por 3-1, com um dos tentos a resultar de uma grande jogada de Font a assistir Pérez (um prenúncio...), teria eco pelos piores motivos, com a acusação de um resultado combinado.

O 3-1 que servia a Espanha e França trouxe à baila um "estranho" 6-6 entre Oliveirense e Sporting da última Liga Europeia, em que Font e Pérez também foram protagonistas, então a não merecer qualquer nota (nem de rodapé...) de suspeita ou repúdio, como agora se multiplicaram em vários quadrantes do Hóquei em Patins português. No final dos dois jogos, independentemente das acusações, ficará que as equipas em questão lograram os seus objectivos. E o objectivo da Espanha era estar na final e evitar novo confronto com Portugal, apesar da vitória na fase de grupos só ter escapado aos de Cabestany no derradeiro minuto.

Font e Pérez festejam o derradeiro e decisivo golo do Europeu com o "rival" Aragonès.

Na decisão, o jogo com os gauleses foi a prolongamento. A meio da segunda parte do tempo extra, Ferran Font passou genialmente por todos e só ficou a faltar o golo. Quase. Na sobra, Toni Pérez, pleno da oportunidade e do sentido de estar no sítio certo à hora certa que o caracteriza, rápido a reagir, fez o decisivo 2-1. E Toni e Ferran ergueram mais um título.

Este domingo, no regresso ao campeonato português, os dois campeões da Europa deverão voltar a vestir a camisola do Sporting, com um compromisso em Paço de Arcos. Com oito jornadas cumpridas, os leões são terceiros, a cinco pontos do líder Porto, mas seguirão com a tranquilidade de na pretérita temporada - ainda que sem público - terem contrariado nas decisões o "factor casa" dos dragões. E, já em Dezembro, há nova oportunidade para mais títulos com a disputa da Intercontinental.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade