Notícia

'Temos uma equipa que, quando quer, é extremamente unida no processo'

Jan 12, 2022

O Parede entrou da melhor forma em 2022, com uma dilatada vitória sobre a Juventude de Viana. No entanto, em busca do objectivo da manutenção, o técnico Pedro Gonçalves alerta para 'deslumbramentos'. #Video #PrimeiraDivisão

Neste regresso à I Divisão tantos anos depois, o Parede ainda não lograra marcar mais do que cinco golos num jogo. E marcou cedo. E ainda não conseguira vencer por mais de dois. E venceu por seis. Foi a melhor entrada possível em 2022.

Para o treinador Pedro Caeiro Gonçalves, a vitória sobre a Juventude de Viana foi exagerada nos números e dificilmente as coisas voltarão a correr tão bem - com um final de jogo tão confortável pela diferença no marcador - até ao final do campeonato. Mas, para o técnico, estreante na I Divisão, foi, acima de tudo, uma vitória do "processo". E a capacidade de segurar o resultado num momento de "underplay" de quatro minutos foi fundamental.

O Parede somou, neste arranque de segunda volta, a quarta vitória em 13 jogos. Tinha perdido em Viana por tangencial 5-4 no regresso aos palcos da categoria máxima e o triunfo agora permite-lhe subir à tona, "respirar" fora da zona de despromoção.

Os próximos jogos serão importantes para a consolidação das aspirações de manutenção. O Parede desloca-se a Valongo e recebe o Braga, para embates em que saiu vencedor na primeira volta. Entre essas duas importantes partidas, joga na Marinha Grande, em jogo ainda em atraso da primeira volta, e para a Taça, na pista do CART, nos 32-avos-de-final. Em caso de vitória, o Parede tem à sua espera nos 16-avos o Criar-T, do Seixal.

Ricardo Rocha, expulso frente aos vianenses, falhará certamente o jogo em Valongo, aguardando-se por decisão disciplinar sobre o número de jogos de castigo.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade