Notícia

FPP atenta às 'redes' (mas processo foi arquivado)

Jan 25, 2022

O Comité Técnico-Desportivo da FPP, mostrando-se atento às 'reclamações', apresentou em Outubro queixa visando o Académico da Feira por um 'post' pessoal no facebook. Mas a autora já não pertencia aos órgãos sociais e o processo foi arquivado. #Disciplina

Um "post" no facebook, de 23 de Outubro e transcrito abaixo conforme citado no processo disciplinar posteriormente instaurado, levou o Comité Técnico-Desportivo da Federação de Patinagem de Portugal a agir, em defesa do sua "imagem e bom nome".

Andreia Sousa integrou o Conselho Fiscal do Académico da Feira e - como tantos outros, sobre tantas outras temáticas - "desabafou" nas redes sociais sobre a sua visão do estado do Hóquei em Patins, visando em particular a arbitragem. Recordando comunicados de outros clubes contra a classe, apontou "roubos escandalosos", "critérios diferentes" e, no que provavelmente terá despoletado a queixa federativa, de "corrupção".

Pese assinar em nome próprio, o desabafo da utilizadora do facebook poderia ter custado ao seu clube, responsabilizado pelas palavras e actos dos seus dirigentes, a interdição do seu pavilhão entre dois a quatro jogos e com uma multa entre três e cinco salários mínimos nacionais. Mas, apurou o Conselho Disciplinar, que "à data da publicação do comentário no Facebook a sua autora já não integrava os órgãos sociais do clube", decidindo o arquivamento a 18 de Janeiro do processo.

Ainda que a queixa não tenha sido julgada procedente, a Federação de Patinagem de Portugal e o seu Comité Técnico-Desportivo deixaram um claro alerta de que estão atentos a declarações que ponham em causa a arbitragem e, por inerência, a própria federação.

Recorde-se que o Académico da Feira, no mês de Outubro, emitiu dois comunicados - a 17 e 24 de Outubro - em virtude do seu descontentamento e que cumpriu mesmo prometidas faltas de comparência enquanto pedia diálogo com a Associação de Patinagem de Aveiro e a Federação de Patinagem de Portugal. As questões do clube aveirense terão sido atendidas, dado que as diferentes equipas regressaram aos jogos. No último fim-de-semana, a equipa principal masculina foi mesmo uma das protagonistas dos 16-avos-de-final da Taça de Portugal.

"A corrupção e a desigualdade de critérios por parte da arbitragem no Hóquei em Patins" (por Andreia Sousa, 23 de Outubro)

No dia 2 de Outubro de 2021 iniciou o Campeonato Nacional da 2.a divisão e desde a referida data o Clube Académico da Feira disputou 4 jornadas, sendo que em todas elas houve critérios significativos de desigualdade por parte da arbitragem. O Clube Académico da Feira em 4 jornadas, apesar de ter conseguido com muito trabalho e união de grupo 3 vitórias e apenas 1 derrota, já arrecadou com 15 cartões azuis, 5 cartões vermelhos e 22 bolas paradas.

São vários os motivos que nos levam a TER A CERTEZA que a modalidade que vários pódios dão à nossa Nação está a cair neste ciclo vicioso que é a CORRUPÇÃO. Vários dos nossos cartões azuis e os nossos vermelhos (expulsões) foram dados sem qualquer motivo válido, sem agressões e insultos. As bolas paradas são repetidas (até ser golo) acusando o guarda-redes de sair antes do tempo, quando se visualiza nos vídeos que tal não acontece (vídeos obrigatoriamente gravados e enviados para a Federação de Patinagem de Portugal), entre muitos outros motivos.

Como público que assiste a estes roubos escandalosos, onde a arbitragem estraga por completo esta modalidade, expressamos o nosso desagrado face aos critérios diferentes em situações similares em questões de segundos.

Não se pode deixar passar mais em branco estas atitudes que demonstram que os árbitros são CORRUPTOS e que prejudicam por completo o clube, a modalidade e PORTUGAL.

Procura-se igualdade, respeito, justiça e imparcialidade de procedimentos.

Tentam consecutivamente aniquilar a EQUIPA, sem já se darem ao trabalho de esconder que tomam partidos contra o CAF.

É imoral e o público está revoltado! É preciso divulgar este assunto nos media, já que a Federação de Patinagem de Portugal não reage e ainda consegue avaliar as arbitragens, sempre, com notas superiores a 90%.

Já são vários os clubes a manifestar o seu desagrado e a divulgarem comunicados (A Juventude de Viana, SC Marinhense, CD Póvoa, ... )

Alguém tem que parar esta situação ou, pelo menos, dar voz a esta causa.

PS: Foto do jogo de hoje com apenas 6 minutos decorridos e já com 3 atletas com cartão azul.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade