Notícia

A Taça do Lleida e a cobiça alheia

Apr 22, 2022

Para uma discussão final que será italo-catalã, Lleida, Calafell, Valdagno e Follonica juntam-se este fim-de-semana em Paredes para decidir o vencedor da Taça WSE. O Lleida defende o troféu conquistado nas últimas três edições. #WSECup

Depois de 2017, quando o Óquei de Barcelos triunfou pelo segundo ano consecutivo, não houve outro vencedor da segunda mais importante prova europeia de clubes senão o Lleida.

A equipa catalã venceu a última edição da Taça CERS em 2018, a primeira da sucessora Taça WSE em 2019 e, já após a pandemia, nova Taça WSE em 2021. A equipa orientada por Albert Folguera pode tornar-se, este fim-de-semana, 23 e 24 de Abril, em Paredes, a primeira equipa a chegar aos quatro triunfos, e o carismático capitão Andreu Tomàs, que já anunciou a sua retirada no fim da temporada, terá a oportunidade de erguer pela quarta vez o troféu. O Lleida destacar-se-ia dos três troféus conquistados por Óquei de Barcelos, Novara e Liceo.

Ainda antes de ter sido jogada a primeira mão dos quartos-de-final, numa estranha (mas saudável) antecipação de anúncio, o Comité-Técnico europeu (WSE-RH) tornou pública a escolha de Paredes como palco da Final Four da Taça WSE. Na altura, a Juventude de Viana ainda estava na corrida a um lugar entre os quatro semifinalistas, mas as duas mãos dos "quartos" acabariam por ditar que a decisão tenha lugar sem nenhuma equipa do país que a recebe. Tal só acontecera na última decisão, na pretérita temporada, em Andorra, mas numa edição improvisada, em Final Seven.

Meia catalã...

Em Paredes, o detentor do troféu, Lleida, surge como 5º na OK Liga e conta com um elã vencedor inigualável nesta competição europeia para ter talvez a maior quota de favoritismo nesta Final Four. No entanto, a concorrência é de respeito, principalmente do seu adversário na meia-final, o Calafell.

No campeonato espanhol, a equipa da "llista blava" ("risca azul") tem apenas dois pontos de vantagem sobre o Calafell. E a equipa orientada por Ferran López tem motivos para não temer o campeão, dado que, nos dois jogos disputados para a OK Liga, o Calafell levou a melhor, vencendo ambas as partidas por 3-2.

Lleida e Calafell defrontam-se em dia de Sant Jordi, data especial na Catalunha e para os catalães.

E, numa época que está a ser a melhor da sua história, o Calafell conta com a experiência de jogadores como Sergi Miras (vencedor da CERS em 2006) ou Jordi Ferrer ("Ferreti", vencedor em 2008 e finalista em 2011). Sergi Miras jogou em Portugal, vestindo as camisolas de Sporting e Porto, mas pelo campeonato luso passou também Arnau Xaus, com as cores da Juventude de Viana. Na baliza, o Calafell tem o internacional português "Xano" Edo, que, muito jovem, rumou aos escalões de formação do Barcelona.

... e meia italiana

Na outra meia-final, encontramos o outro português entra as equipas presentes. Sérgio Silva é o treinador do Follonica desde 2020 e procura um primeiro título nas "águias", por quem se sagrou vencedor da Liga Europeia em 2006, num percurso iniciado com o afastamento na pré-eliminatória do gigante Barcelona - de Sergi Miras - que, relegado para a Taça CERS, venceria a prova sucedendo... ao Follonica.

O Follonica vencera a Taça CERS em 2005, numa final italiana - a última que aconteceu - com o Bassano. Desta feita, o adversário transalpino na Final Four é o Valdagno, equipa orientada pelo argentino Diego Mir.

As duas equipas encontraram-se logo na primeira jornada da fase regular em Valdagno, com vitória forasteira por 1-4. Na abertura da segunda volta, houve empate a um em Follonica. Com um 3º lugar final para Follonica e um 6º para o Valdagno - mas com a melhor série sem derrotas, com nove jogos de seis vitórias e três empates -, já há novo encontro marcado nos quartos-de-final do play-off do campeonato italiano.

Na Taça CERS, o Valdagno foi finalista em 2008, perdendo na altura para um Tenerife que contava com Ferreti, agora, no também semifinalista Calafell. Entre os nomes desse Valdagno, destacava-se o de Carlos Nicolia, mas também os de Davide Motaran e Mattia Cocco que, "nas voltas que a vida dá", 14 anos depois, voltam a lutar pelo mesmo troféu, com a mesma camisola.

Segundo informação disponível no site da Câmara Municipal de Paredes, os bilhetes são vendidos no local, nos dias dos jogos, e têm o custo unitário de três euros.

FINAL FOUR

Meias-finais

• MF1 • Lleida vs. Calafell • 23.Abr • 13h

• MF2 • Valdagno vs. Follonica • 23.Abr • 16h

Final

Vencedor MF1 vs. Vencedor MF2 • 24.Abr • 13h

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade