Notícia

Sporting vence e adianta-se

Jun 08, 2022

O Sporting venceu o terceiro jogo da meia-final frente ao Benfica por 4-2. Apenas com a ausência de Henrique Magalhães, os leões adiantam-se numa eliminatória em que o 'factor casa' dita lei. #PrimeiraDivisão

Era dia de jogo (e de dérbi) e toda a gente sabia que eles iriam, fazendo jus a um dos cânticos mais entoados da noite e respondendo ao apelo de treinador e jogadores. Os adeptos marcaram presença no João Rocha e empurraram o Sporting para uma vitória com uma boa exibição. Os leões ficam a um triunfo da final.

Entre castigos, prazos de notificações e recursos, só Henrique Magalhães, expulso na Luz, não foi a jogo. Sem utilizar João Almeida ou Filipe Martins, a rotação de Paulo Freitas foi mais curta, mas seria claramente vencedora.

Com os "castigados" Font, Pedro Henriques e Edu Lamas nos cincos iniciais, o jogo começou dividido, com oportunidades junto das duas balizas. Lucas Ordoñez desequilibrou o marcador aos cinco minutos e abalou o ímpeto inicial leonino, mas havia muito para jogar.

Com Romero a parecer regressar à plenitude depois dos poucos minutos de utilização na Luz, o Sporting lograva sair rápido e desequilibrar muitas vezes a defensiva encarnada. Pedro Henriques, com um punhado de boas intervenções, ia adiando a igualdade, mas veria Ferran Font, o seu nêmesis (não propriamente no que a Hóquei em Patins diz respeito...) do jogo dois, finalizar com classe aos 11 minutos.

Font foi um quebra-cabeças para as águias, e várias vezes se libertou para ficar frente-a-frente com Pedro Henriques. A oito minutos do intervalo, atirou ao ferro.

Do outro lado, a grande oportunidade para "desatar" o empate foi protagonizada por Pablo Álvarez, mas, completamente sozinho perante Girão, não conseguiu converter. Na resposta, Nicolia viu azul, e Romero não perdoou, mesmo marcando apenas na recarga.

O azul a Nicolia foi o primeiro dos oito mostrados por Miguel Guilherme e João Duarte, irmãmente divididos pelas duas equipas (como as advertências, com três para cada lado) numa arbitragem rigorosa e musculada no sanar de qualquer coisa que se parecesse com o início de um conflito.

No arranque da segunda parte, haveria quatro azuis em cinco minutos. Mas nenhum golo. Logo no primeiro minuto, Alessandro Verona viu o azul. Romero foi advertido e não teve juízo, acabando por ver um azul completamente desnecessário, mas que fez por merecer. Nicolia não marcou o livre directo, mas o duplo momento de vantagem numérica parecia jogar a favor das águias.

No entanto, um minuto volvido, Nicolia também veria azul (Font não conseguiu bater Pedro no livre directo), e ficavam três jogadores de pista de cada lado. E, aos cinco, Edu Lamas também veria azul, numa entrada sobre Platero pouco depois de um outro lance duro, sobre Font. Os ânimos aqueciam na pista.

Romero levava a bola ao ferro, como levaria em nova oportunidade a dois minutos do fim, numa noite de "excesso" de pontaria do argentino. Mais eficaz foi Verona, marcando aos 11 minutos da zona frontal, para um 3-1 que valia uma preciosa vantagem de dois golos.

O Benfica era obrigado a ir atrás do resultado, mas em "noite não" de Nicolia, não havia uma solução de recurso. Lucas Ordoñez procurava carregar as águias, mas, no deve e haver de oportunidades, até era Pedro Henriques que se destacava. O Sporting tinha espaço e, já nos seis minutos finais, uma estética rotação de bola ao primeiro toque libertou João Souto sobre a direita e o atacante fez o 4-1 que praticamente sentenciava a partida.

Pouco depois, na 10ª falta dos leões, Lucas Ordoñez teve duas oportunidades para desfeitear Girão, mas o duelo redundou "apenas" em duas explosões de alegria no João Rocha. O Sporting até perderia Romero por mais dois minutos, por novo azul, e Lucas fez um 4-2 a três minutos do final que passou quase despercebido. Mas que poderia influir na história do jogo. No entanto, Pablo Álvarez também não conseguiu bater Girão e os leões asseguraram o triunfo.

Já com o Porto apurado para a final, Benfica e Sporting jogam na próxima sexta-feira na Luz. Em caso de vitória leonina, reedita-se a final de 2021. Caso as águias levem a melhor, haverá "negra" no domingo, no João Rocha.

Meias-finais

Porto 8-4 Óquei de Barcelos • 28.Mai • 1-0

Sporting 4-3 Benfica (2-2, 2-1 pen.) • 29.Mai • 1-0

Benfica 3-2 Sporting • 4.Jun • 1-1

• Óquei de Barcelos 2-5 Porto • 4.Jun • 0-2

Porto 4-2 Óquei de Barcelos • 7.Jun • 3-0

Sporting 4-2 Benfica • 7.Jun • 2-1

• Benfica vs. Sporting • 10.Jun • 17h

• Sporting vs. Benfica • 12.Jun • 18h30 (se necessário)

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade