Emoção e reviravoltas deram empate no final

O Óquei de Barcelos começou na frente, esteve a perder por três, virou para uma vantagem de dois a seis minutos do fim, mas o derradeiro assomo do Porto ditou a divisão de pontos na abertura da 6ª jornada.

Emoção e reviravoltas deram empate no final

Porto e Óquei de Barcelos empataram a seis na abertura da 6ª jornada do Campeonato PLACARD.

O Óquei de Barcelos entrou melhor, com um golo de Danilo Rampulla logo aos dois minutos, conseguindo os barcelenses conter a resposta dos dragões e até perdendo a possibilidade de ampliar quando Carlo Di Benedetto viu o azul aos 10 minutos. Mas nem Alvarinho transformou o livre directo em golo, nem a equipa de Paulo Freitas aproveitou a superioridade numérica. E, quando a resposta azul-e-branca se traduziu em golos, foi avassaladora.

A seis minutos do intervalo, Gonçalo Alves dava o mote, restabelecendo a igualdade. Não conseguiria mais tarde marcar de livre directo (10ª falta do Óquei de Barcelos), mas Reinaldo Garcia carimbou a reviravolta no seguimento do lance. E, sobre o apito para o descanso, Rafa fez o 3-1, pesado para a ambição dos visitantes.

O Óquei de Barcelos entrou determinado - e pressionante - para reduzir, mas Mena saiu em contra-ataque e, com arte, num duelo entre campeões do Mundo, colocou aos dois minutos sobre Conti Acevedo para o 4-1. Meio minuto depois, também entre argentinos, Reinaldo Garcia viu azul por falta sobre Rampulla, mas Luís Querido não conseguiu bater Maliàn e os dois minutos de superioridade numérica também não redundariam em qualquer golo.

Não contando com sete dos seus jogadores na pausa mundialista - Gonçalo Alves, Rafa e Telmo Pinto (Portugal), Ezequiel Mena (Argentina), Carlo Di Benedetto (França) e Xavi Maliàn e Xavi Barroso (Espanha) -, Ricardo Ares poderia agora tentar gerir a partida de outra forma sobre a vantagem de três golos amealhada. Mas o Óquei de Barcelos voltou ao jogo.

O capitão Luís Querido reduziu aos sete minutos e os barcelenses acreditaram. Carregaram (e carregaram-se de faltas), mas, com o Porto mais expectante, Danilo Rampulla reduzia para a margem mínima aos 11 minutos e meio. E, um minuto volvido, com azul a Gonçalo Alves, Dario Giménez restabelecia a igualdade.

O factor anímico de ter recuperado de três golos pesava na equipa de Paulo Freitas, mais balanceada para o ataque. E, mesmo com perigosas 14 faltas contra cinco dos dragões, surpreendiam para virar o resultado a 10 minutos do final. Danilo Rampulla, com o terceiro da sua conta pessoal, fez o 4-5.

A perder, o Porto não parecia ter argumentos para reagir, mas foi desperto pelo sexto golo barcelense. A seis minutos do final, Rafa viu o azul e Dario Giménez fez das suas para ampliar para 4-6. A "brincadeira" e o golo mexeu com o orgulho dos portistas.

Logo na reposição, Gonçalo Alves reduziu do meio da rua para 5-6 e, mesmo desperdiçando a 15ª falta, Carlo Di Benedetto igualaria a três minutos do fim. No último "forcing" dos dragões, Miguel Vieira viu o azul, mas Gonçalo Alves, num duelo que parecia de final de Campeonato do Mundo, não conseguiu bater Conti e o Óquei de Barcelos conseguiu sobreviver com um ponto até ao apito final.

Este empate acaba com o percurso 100% vitorioso dos barcelenses, mas não quebra a sua invencibilidade e, antes dos demais jogos, vale a liderança.

Ainda este sábado, há outros cinco jogos da 6ª jornada, com destaque - na luta no topo da classificação - para o jogo entre Benfica e Famalicense. Em caso de vitória, as águias assumem a liderança isolada da prova.

A ronda fecha, com "chave de ouro", a partir das 12h deste domingo. O Sporting recebe a Oliveirense.

6ª Jornada

• Porto 6-6 Óquei de Barcelos • 26.Nov

• Murches vs. Riba d'Ave • 26.Nov • 16h • Joaquim Pinto e Paulo Almeida

• Braga vs. Valongo • 26.Nov • 17h • Porfírio Fernandes e Manuel Fernandes

• Tomar vs. Paço de Arcos • 26.Nov • 18h • Carlos Correia e Rui Torres

• Benfica vs. Famalicense • 26.Nov • 19h • José Martins e Bruno Henriques

• Parede vs. Juv. Viana • 26.Nov • 21h • Fernando Vasconcelos e Rui Leitão

• Sporting vs. Oliveirense • 27.Nov • 12h • Pedro Figueiredo e Pedro Silva

Classificação

1º Óquei de Barcelos* (16), 2º Benfica (15), 3º Porto* (13), 4º Sporting (12), 5º Tomar (7), 6º Famalicense (7), 7º Juventude de Viana (6), 8º Braga (6), 9º Valongo (6), 10º Riba d'Ave (6), 11º Oliveirense (5), 12º Paço de Arcos (3), 13º Murches (1), 14º Parede (1)

*mais um jogo

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
«Todos os sacrifícios valeram a pena»

«Todos os sacrifícios valeram a pena»

Lucas Martinez passou por França, Espanha, Itália e Portugal antes de se sagrar campeão do Mundo pela Argentina. Um percurso de sacrifícios e resiliência, de um jogador que chegou ao 'Melhor Campeonato do Mundo' em 2020, para a Oliveirense.

A nova (dura) realidade leonina

A nova (dura) realidade leonina

No jogo que já foi o mais aguardado do Hóquei em Patins feminino em Portugal, o Sporting foi goleado na Luz por 11-1, numa nova - e dura - realidade da equipa leonina. Para o Benfica, segue-se, já este domingo, o duelo com o Turquel.