Notícia

A Suíça no caminho de Portugal

Jul 15, 2016

Foto de Gian-Luca Privitelli: Bieler Tagblatt

O adversário de Portugal nas meias-finais do Campeonato da Europa, chega a esta fase da prova aclamado como a grande (única?) surpresa.

A Suíça não entrou da melhor maneira no Europeu, defrontando a selecção portuguesa, num embate que agora reedita. O jogo, desde cedo condicionado pelo azul (discutível) ao guarda-redes Jean-Pierre Vizio, terminou com uma inquestionável vitória lusa por 8-0. Ficou bem patente a influência de Pascal Kissling e Federico Garcia, mas alguma fragilidade defensiva e poucos pormenores ofensivos.

O guarda-redes Jean-Pierre Vizio

No segundo jogo do grupo B, a Suíça garantiu o terceiro lugar do grupo que a poria no caminho dos franceses na fase final. Frente à Áustria, os helvéticos tiveram mais tempo de posse de bola e venceram com naturalidade por 4-1. Gian Rettenmund, Pascal Kissling e o capitão Federico Garcia (este a bisar) foram os autores dos golos.

No fecho da fase de grupos, novo teste frente a uma das candidatas ao título e mais oito golos consentidos. Raphael Rettenmund apontou o tento de honra que nada mudou na classificação.

Na equipa técnica, o credenciado Ramon Riverola é que trata do físico aos helvétivos

Nos quartos-de-final, o favoritismo era apontado a uma França de quem se vai esperando muito, mas que tarda em cumprir. E a Suíça soube explorar todas as fragilidades dos gauleses. Com Jean-Pierre Vizio muito bem entre os postes e uma defesa aplicada, a equipa - que tem Gian-Luca Privitelli (como figura de treinador) a mexer as peças conforme Pascal Kissling (o treinador na acepção da palavra) idealiza - roçou a perfeição.

Pascal Kissling, herói da vitória sobre a França

Pascal Kissling apontou quatro golos, o último dos quais num pormenor a vincar toda a sua qualidade técnica, pouco comum no jogador helvético. O possante Gael Jimenez e Dominic Wirth marcaram os outros golos numa partida que acabou com o capitão de origem argentina Federico Garcia Mendez lesionado, vítima do desnorte gaulês. A participação do valoroso jogador nas meias-finais estará mesmo em risco, no que seria uma perda irreparável num plantel com algumas soluções - todos os jogadores são utilizados - mas nenhuma do mesmo nível.

Gael Jimenez

Privitelli

Pascal Kissling é efectivamente o treinador da Suíça e é assim dado nas fichas de jogo. Kissling, que também é jogador-treinador do campeão suíço Diessbach, não consegue no entanto estar em todo o lado...

Para coordenar a equipa, a Suíça conta com Gian-Luca Privitelli, nome estranho para os adeptos do Hóquei em Patins.

No banco suíço

Quem é afinal Gian-Luca Privitelli? É treinador. De futebol. Actualmente com 38 anos, Privitelli começou a carreira nos bancos (dos relvados) em 2007, como jogador-treinador da equipa de futebol do Diessbach, rumando em 2012 ao Lyss, onde estaria época e meia. Ausente dos bancos desde Dezembro de 2013, Privitelli assume para a próxima temporada o comando técnico do Breitenrain.

Privitelli, nos pontapés na bola

Toda a carreira desportiva de Privitelli foi ligada ao futebol. Mas, nas funções que ocupa na selecção suíça de Hóquei em Patins, a mais-valia é o seu conhecimento do cargo de treinador, em que a capacidade de liderança, motivação e gestão de expectativas é transversal a todas as modalidades.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade