Notícia

Segundo Mestrado leva Tomás Moreira para França

May 29, 2019

Na sua primeira época na I Divisão, Tomás Moreira terminou no Top 5 dos melhores marcadores do Campeonato, com 31 golos. Mas, apesar do assédio de vários clubes, mais uma vez serão os estudos a ditar o futuro do jogador de 22 anos. E o futuro imediato passa por França, pelo mestrado na ECSP Europe e pelo Noisy Le Grand. “Que é a equipa mais perto”, conta ao HóqueiPT.

Em 2015, Tomás Pereira deixou o Valongo – depois de ter começado na Sanjoanense e ter representado também o Porto - para ingressar na Católica Lisbon School of Business & Economics, referência nacional em Gestão e Administração de Empresas. “Conciliei com vir jogar para o Sporting”, recorda.

Depois de dois anos nos Sub-20 e equipa “B” dos leões, rumou em 2017 a um Oeiras apostado na subida. E ganhou a aposta. E, no último defeso, acedeu à chamada de Luís Duarte – que o tinha orientado no título europeu de Sub-20 de 2016 - para o Paço de Arcos.

“Foi uma época muito positiva”, refere em jeito de balanço, sublinhando a alegria pela primeira época na I Divisão. Uma época que fica marcada por oito golos apontados ao Sporting, que redundaram em duas derrotas – comprometedoras - dos leões. Sem segredos, diz-nos que foi um dia (ou dois) que correu bem. “O Girão é só o melhor guarda-redes do Mundo”, enfatiza.

Tomás Moreira marcou nada menos que oito golos em dois jogos a Ângelo Girão, que aponta como o “melhor do Mundo”

Agora, está a acabar o Mestrado na Católica. E vai fazer outro. “É com alguma pena que decido não ficar no Melhor Campeonato do Mundo”, frisa. “Estou a ir em busca de um futuro melhor”, orgulha-se, seguro de que o ano que se avizinha, com um Mestrado que já foi apontado pela Financial Times como o melhor do Mundo, lhe abrirá portas no regresso.

E, quando voltar, quer voltar ao Paço de Arcos. “Que os meus colegas façam uma época ainda melhor que esta, para, quando voltar, poder jogar a Taça CERS com eles”, deseja.

O Paço de Arcos perderá assim o seu melhor marcador, por motivos nobres, numa situação que não é virgem.

Já em 2012, o clube da Linha “perdera” uma pérola de 22 anos para os estudos, quando Gonçalo Pestana, internacional jovem português e uma certeza no panorama do Hóquei em Patins – vencedor, por exemplo, da Taça Latina em 2008 com, entre outros, Girão e Diogo Rafael - rumou… à Finlândia, e à Aalto University, para complementar os estudos superiores que terminara no Técnico como aluno de mérito.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade