Notícia

Interdição além de derrota e Barcelos 'pondera' reagir

Apr 06, 2022

Para além da pena de derrota, o Óquei de Barcelos vê a 'Catedral' interdita por dois jogos e podem não voltar a jogar em casa esta época. Em comunicado, 'ponderam' reagir, mas um eventual recurso pode colocar em causa o play-off. #Disciplina #PrimeiraDivisão

Enquanto a Federação de Patinagem de Portugal vai adiando, incompreensivelmente dado que já reflectiu as decisões nos resultados e classificação, a publicação da decisão do processo PD012/2122, vão sendo conhecidos mais detalhes e sucedendo-se ondas de choque.

A derrota por 10-0 já estava reflectida no calendário e classificação federativa, "empurrando" o Óquei de Barcelos do 3º para o 5º lugar. De facto, em menos de uma semana, o Óquei de Barcelos cai de um 2º lugar "ex aequo" com o líder Porto, para o 5º, atrás de Sporting (em virtude da derrota barcelense com o Valongo) e, agora, de Benfica e Oliveirense.

Neste momento, o 5º lugar tira ao Óquei de Barcelos qualquer vantagem de "factor casa" por que batalhou ao longo da fase regular. E pode mesmo não voltar à Catedral esta época.

Além da pena de derrota, os barcelenses viram o seu pavilhão interdito por duas partidas. Uma será cumprida na penúltima jornada, curiosamente na recepção à Oliveirense. A outra seria já nos quartos-de-final. Pela classificação actual, havendo ainda muitos jogos que podem mudar a classificação, calharia novamente entre Barcelos (5º) e Oliveirense (4º), sendo que, à melhor de três, os barcelenses só teriam um jogo em casa...

Na sua "Catedral", o Municipal de Barcelos, o Óquei registou no último sábado a primeira derrota (frente ao Valongo) depois de 10 vitórias e um empate.

Recorde-se que estes castigos surgem no seguimento do jogo entre Oliveirense e Óquei de Barcelos da 12ª jornada, há cerca de quatro meses, em que a partida foi interrompida a seis minutos e 48 segundos do final, entendo os árbitros não existirem condições de segurança para a mesma ser retomada.

Na próxima sexta-feira, o Óquei de Barcelos defronta o Porto na primeira meia-final da Taça de Portugal, no Multiusos de Paredes, a umas inusitadas 17h de um dia útil alvo de contestação.

Óquei de Barcelos reage

Esta terça-feira, os barcelenses reagiram em comunicado - que aqui transcrevemos na íntegra - expressando a sua indignação perante uma "inoportuna" e "injusta decisão" e informando que está a "ponderar reagir por todos os meios que entender mais convenientes".

Face ao que tem sido noticiado, o Óquei Clube de Barcelos, Hóquei em Patins, SAD, informa estar a ponderar reagir por todos os meios que entender mais convenientes à defesa dos seus interesses desportivos e outros seriamente prejudicados com o que entende ser, além de inoportuna, uma injusta decisão, contra si e contra os seus adeptos, proferida pelo Conselho de Disciplina da Federação de Patinagem de Portugal referente ao jogo da 12ª jornada do Campeonato Nacional de 1ª Divisão de Hóquei em Patins, pasme-se, a 14/12/21, entre UD Oliveirense e o Óquei Clube de Barcelos.

Que, por um lado, deixa incompreensivelmente passar incólume quem não criou as necessárias e adequadas condições a que estava obrigado para que o jogo em causa terminasse em segurança e, sobretudo, quem, por ação ou por omissão, esteve verdadeiramente na origem dos distúrbios e agressões e, por outro lado, penaliza intoleravelmente desportivamente quer com derrota, quem, dentro de pista e a 6,48 minutos do fim, até estava a vencer por 6-4, quer com interdição, nesta altura, de dois jogos do seu recinto desportivo, quer, ainda, com multa de 2.820,00€.

O Óquei Clube de Barcelos condena todos e quaisquer atos de violência no desporto, mas sempre lutou e lutará intransigentemente pela verdade e justiça desportivas e, com toda a determinação que lhe é característica, não deixará que, fora de pista, seja logrado aquilo que dentro de pista não se tem conseguido e tanto árduo trabalho tem dado.

Tribunal Arbitral do Desporto

Estranhando-se que o Óquei de Barcelos afirme estar a "ponderar" reagir e não que vá, de facto, reagir, há duas hipóteses de recurso contra a decisão do Conselho de Disciplina. Os barcelenses podem recorrer, internamente, na esfera da FPP, ao Conselho de Justiça ou, mostrando que a indignação expressa em comunicado não é apenas "fogo de vista" como outros comunicados, a contestação terá de passar pelo Tribunal Arbitral do Desporto.

O pedido de arbitragem ao Tribunal Arbitral do Desporto poderá mesmo (ou deverá) ser acompanhado de um pedido de Providência Cautelar que decrete, provisoriamente, a medida cautelar de suspensão da execução da sanção disciplinar de interdição do seu recinto por dois jogos e de sanção de multa - algo que não seria inédito, tendo acontecido em 2019 - e, inclusivamente, da perda de pontos.

Play-off em causa

Por outro lado, a apresentação de um recurso pelo Óquei Clube de Barcelos pode colocar em causa o play-off de luta pelo título.

Considerando a actual classificação, e num mero exercício, certos no arranque da fase a eliminar (agendada para 14 de Maio) seriam os embates entre Porto (1º) e Braga (8º) e entre Sporting (2º) e Tomar (7º). Mas os jogos entre Benfica (agora 3º) e Valongo (6º) e entre Oliveirense (agora 4º) e Óquei de Barcelos (agora 5º) poderiam ser, caso a sanção fique suspensa ou seja revertida, embates entre Óquei de Barcelos e Valongo e entre Benfica e Oliveirense...

Pode o play-off arrancar com esta indefinição? Qualquer que seja a decisão neste momento, pode ser contrariada pelo recurso - sendo necessário ter em conta as habituais delongas processuais - e não há, aparentemente, um mal menor.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade