Argentina marca 'acerto de contas' com Portugal

A Argentina é a adversária de Portugal na final do Campeonato do Mundo. As duas selecções reeditarão a final de 2019 depois da albiceleste ter vencido a Itália por 4-1. O jogo ficou marcado pela lesão grave de Pascual.

Argentina marca 'acerto de contas' com Portugal

Argentina e Portugal vão defrontar-se pela terceira vez na final de um Campeonato do Mundo, depois do triunfo argentino em 1995 e da vitória portuguesa em 2019.

Depois de Portugal ter garantido o apuramento frente à França, a Argentina garantiu a presença na final do Aldo Cantoni com um triunfo por 4-1 sobre a Itália.

O jogo começou quentinho. Aos 10 minutos, "todo" o azar do Mundo caiu sobre Matias Pascual. De regresso depois de dois dias fora da convocatória, com sintomas gripais, o argentino do Barcelona saiu de maca com uma dupla fractura de tíbia e perónio - num lance em que cai sozinho - e falhará a final... e quiçá a temporada.

Na confusão que o lance despoletou, Ipiñazar e Romero viram azul e Ivan Jaquierz, treinador de guarda-redes argentino, viu o vermelho. A Argentina ficou largos minutos em inferioridade, mas a Itália não conseguiu marcar.

Já a albiceleste foi mais eficaz mais tarde, depois de Giulio Cocco ver azul. Lucas Ordoñez não conseguiu bater Gnatta, mas, na superioridade numérica, Gonzalo Romero disparou um míssil para o 1-0. E, a escassos sete segundos do intervalo, de grande penalidade, Romero bisava.

A Itália já recuperara de desvantagens frente a Portugal, França e Angola, mas, logo no arranque da segunda parte, Ordoñez esboçou, traçou e passou a limpo uma jogada magistral para um 3-0 que tornava a distância demasiado grande... Ainda para mais com uma selecção argentina a "defender a atacar", sempre mais perigosa e com mais oportunidades.

Giulio Cocco ainda reduziu, a três minutos do fim (num golo que não mancha a grande exibição de Conti Acevedo), mas deitaria tudo a perder - quando já não havia muitas hipóteses de dar a volta - ao receber ordem de expulsão a meio minuto do fim. De livre directo, Carlos Nicolia selou o resultado em 4-1.

A final disputa-se domingo, depois de um sábado de "reflexão", a partir das 20h30 locais, 23h30 de Portugal continental.

Poule de promoção

• P1 • Moçambique 2-3 Alemanha • 10.Nov

• P2 • Chile 5-1 Colômbia • 10.Nov

Quartos-de-final

• QF1 • Portugal 10-1 Alemanha • 10.Nov

• QF2 • Espanha 4-5 França (3-3, 1-1 prol, 0-1 pen) • 10.Nov

• QF3 • Argentina 6-2 Chile • 10.Nov

• QF4 • Angola 4-5 Itália • 10.Nov

Meias-finais

• MF1 • Portugal 4-0 França • 11.Nov • 19h30

• MF2 • Argentina 4-1 Itália • 11.Nov • 22h

Final

• Portugal vs. Argentina • 13.Nov • 20h30 (23h30 PT)

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
Só dupla fractura afasta Pascual

Só dupla fractura afasta Pascual

Dificilmente (espera-se que não) alguém tirará o prémio de 'mais azarado' a Matías Pascual. Depois de três dias com sintomas gripais, mas a querer ir a jogo, fez uma fractura exposta de tíbia e perónio que lhe pode custar a temporada.

«As mentalidades têm de mudar em Portugal»

«As mentalidades têm de mudar em Portugal»

O resultado foi dilatado, mas a selecção feminina deixou boa imagem perante a anfitriã e candidata Argentina e vai disputar o bronze. No rescaldo, uma Marlene Sousa embargada reclamou mais apoio para o Hóquei em Patins feminino.

«Sempre gostei do Hóquei e tento aportar o que vivi e o que sei»

«Sempre gostei do Hóquei e tento aportar o que vivi e o que sei»

Bicampeão do Mundo, Carlos López integra agora a equipa técnica de uma selecção feminina argentina a quem o título escapa desde 2014. E continua a jogar e a ganhar. Deixou Portugal em 2016 (e voltaria...), mas nunca deixará o Hóquei.

Portugal está na final

Portugal está na final

Portugal venceu a França por 4-0 e chega pela terceira vez consecutiva à final. Os portugueses foram sólidos defensivamente e 'mataram' o jogo nos minutos finais, aguardando agora o desfecho do embate entre Argentina e Itália.

Portugal esbarra num 'muro' e a final é a mesma desde 2017

Portugal esbarra num 'muro' e a final é a mesma desde 2017

Espanha e Argentina vão disputar a terceira final de Mundial consecutiva, depois de afastarem Itália e Portugal. As portuguesas criaram muitas oportunidades, em particular na primeira parte, mas esbarraram numa inspirada Anabella Flores.