Romero foi a cura para ressaca do Mundial

No fecho da 6ª jornada, o Sporting venceu a Oliveirense por tangencial 5-4. A equipa que mais jogadores teve no Mundial não segurou uma vantagem de dois golos, mas 'Nolito' Romero resolveu a três minutos do fim.

Romero foi a cura para ressaca do Mundial

O Sporting venceu a Oliveirense por 5-4 no fecho da 6ª jornada do Campeonato PLACARD. Os leões, com visíveis sequelas físicas do Campeonato do Mundo, suaram para garantir os três pontos perante uma Oliveirense que "teima" em não ganhar pontos.

Ninguém teve, durante a pausa mundialista, um trabalho tão ingrato como Alejandro Dominguez entre os treinadores do Campeonato PLACARD, privado de oito dos seus jogadores e apenas com Zé Diogo e João Almeida disponíveis.

O jogo que encerrou a 6ª jornada, começou com muitas cautelas de parte a parte, num jogo "mastigado", sem explosividade. Aos 12 minutos, Lucas Martinez fez mexer o marcador e o jogo, marcando sozinho na cara de Girão depois de uma bela triangulação no ataque Oliveirense.

Lucas Martinez desbloqueou o marcador.
Lucas Martinez desbloqueou o marcador.

Pouco depois, Ferran Font via um azul que vai sendo regra na sua relação com os árbitros portugueses. Martinez não conseguiu desta vez desfeitear Girão, nem a Oliveirense aproveitou o powerplay. E, em menos de três minutos, quase deitava tudo a perder.

Reposta a igualdade numérica, Matías Platero igualou. E, num piscar de olhos, Gonzalo Romero virava o resultado. Os três novos campeões do Mundo faziam o resultado a seis minutos do intervalo. Volvidos dois minutos e meio, houve grande penalidade para o Sporting e Romero saltava do banco para fazer o 3-1.

Nas duas vezes que a Oliveirense esteve a perder por dois, surgiu o capitão Marc Torra a reduzir.
Nas duas vezes que a Oliveirense esteve a perder por dois, surgiu o capitão Marc Torra a reduzir.

A Oliveirense estava numa espiral negativa, mas o capitão segurou-a à tona. Marc Torra reduziu para 3-2 e, sem mais golos na primeira parte (Romero e Martinez desperdiçaram livres directos perante Diogo Alves e Ângelo Girão), ficava tudo em aberto.

Adroher e Verona tinham visto azuis perto do final da primeira parte e a Oliveirense lograra recuperar o quarto jogador de pista, mas o minuto de vantagem numérica de que dispôs no arranque da etapa complementar, não redundou na ansiada igualdade. E, aos cinco minutos, João Souto fazia o 4-2 de livre directo, eficaz depois de azul a Jorge Silva.

João Souto foi eficaz de livre directo, ampliando para 4-2 no início da segunda parte. Mas o Sporting não segurou a vantagem.
João Souto foi eficaz de livre directo, ampliando para 4-2 no início da segunda parte. Mas o Sporting não segurou a vantagem.

A Oliveirense voltava a ver dois golos de desvantagem e o seu capitão voltava a marcar para a manter no jogo. Marc Torra bisou e a desvantagem mínima havia de valer emoção na recta final.

Pese a emotiva marcha do marcador, faltava intensidade ao jogo. A Oliveirense, de forma natural, procurou mais o golo, perante um Sporting em clara gestão física, a precisar de mais dias para voltar a "acertar o passo" depois da pausa para o Mundial. Nunca se viu a vertigem que caracteriza o Hóquei em Patins de Alejandro Dominguez. Era hora de ser pragmático e pensar nos pontos em jogo.

Adroher igualou a quatro minutos do fim, mas a Oliveirense, tal como no Dragão Caixa, não conseguiu um resultado positivo.
Adroher igualou a quatro minutos do fim, mas a Oliveirense, tal como no Dragão Caixa, não conseguiu um resultado positivo.

À entrada dos quatro minutos finais, duas faltas num ápice levaram Jordi Adroher para a marca de livre directo. Apesar de uma primeira defesa de Girão, o "Mago" igualaria mesmo para a equipa de Paulo Pereira e dava maior emoção aos últimos minutos. Resolveu "Nolo" Romero.

O internacional argentino, que é muito da alma deste Sporting, recuperaria a bola na sua grande área e avançou decidido para rematar, com violência, para desequilibrar definitivamente o marcador. A Oliveirense ainda procurou o empate, mas, tal como no Dragão Caixa, perderia pela margem mínima e até pelo mesmo amargo resultado.

Com (demasiado) espaço, Romero remata para o definitivo 5-4.
Com (demasiado) espaço, Romero remata para o definitivo 5-4.

Com a vitória, o Sporting aproveita o empate entre Porto e Óquei de Barcelos e não deixa fugir o Benfica.

O Campeonato PLACARD prossegue na próxima quinta-feira, 1 de Dezembro, com um Clássico entre Óquei de Barcelos e Benfica, as duas equipas mais bem classificadas. Ainda nenhuma das duas perdeu, mas os barcelenses estão dois pontos atrás em virtude do "deslize" no Dragão Caixa.

6ª Jornada

• Porto 6-6 Óquei de Barcelos • 26.Nov

Murches 4-1 Riba d'Ave • 26.Nov

• Braga 1-4 Valongo • 26.Nov

Tomar 3-0 Paço de Arcos • 26.Nov

Benfica 5-2 Famalicense • 26.Nov

Parede 4-2 Juv. Viana • 26.Nov

Sporting 5-4 Oliveirense • 27.Nov

Classificação

1º Benfica (18), 2º Óquei de Barcelos (16), 3º Sporting (15), 4º Porto (13), 5º Tomar (10), 6º Valongo (9), 7º Famalicense (7), 8º Juventude de Viana (6), 9º Braga (6), 10º Riba d'Ave (6), 11º Oliveirense (5), 12º Murches (4), 13º Parede (4), 14º Paço de Arcos (3)

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
«Quem sente o Hóquei como uma paixão, tem de conhecer San Juan»

«Quem sente o Hóquei como uma paixão, tem de conhecer San Juan»

Mais de 10 anos volvidos sobre um feito histórico, Pedro Nunes regressou a San Juan como 'simples' adepto, para testemunhar e viver uma paixão pela modalidade que é inigualável. Desportivamente, a anfitriã Argentina foi uma justa vencedora.

Miríade de soluções dá vitória ao eneacampeão

Miríade de soluções dá vitória ao eneacampeão

Enquanto houve pernas, o Turquel segurou o nulo na Luz. Mas depois o Benfica disparou no marcador para um triunfo sobre uma equipa da Aldeia do Hóquei que, recém-regressada, tem o indesejado 'peso' de tentar evitar o 'deca' encarnado.